quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

DENÚNCIA - Comércio Bacabalense não está preparado para atender pessoas com necessidades especiais - Rampas de acesso são mínimas em todo o centro


Quando se fala ou pensa em acessibilidade, normalmente o foco dessa acessibilidade está voltado para os deficientes físicos e suas respectivas necessidades como rampas de acesso e elevadores. Quando se pensa na acessibilidade em escolas, faculdades e instituições de ensino, de modo geral o pensamento sobre acessibilidade não muda muito. Objetividade, é só isso que o mundo de hoje quer de nós, não é mesmo? Que assim seja. A lei de Acessibilidade, garante aos deficientes, ou pessoas com necessidades especiais, algumas coisas, como atendimento preferencial e assentos preferenciais.

foto ilustrativa


      Esses, são talvez, os direitos mais conhecidos pela população em geral. Entretanto, ela (a lei), vai muito além. Isso, pra não falarmos de respeito ao diferente, à pessoa humana. Está pensando que já ouviu isso antes, não é mesmo? É claro que já, com o nome de Acessibilidade Atitudinal. Mas, como o ser humano nem sempre sabe usar esses valores, precisamos de leis que nos garantam condições mínimas de igualdade. Sendo assim, vamos ao que interessa.
Se começarmos pela parte arquitetônica, as escolas, faculdades e a bem da verdade, toda e qualquer instituição, pública ou privada, precisam antes de qualquer coisa, dar acesso aos deficientes.
É o que não acontece em Bacabal, que é uma cidade despreparada para lidar com os de limitação física, impondo ainda mais limitações do que aquelas que os mesmos já tem no seu cotidiano, em detrimento de sua própria deficiência. O que se verifica que são raros os comércios que praticam a lei - de que os locais públicos tem de se adaptar para atender as pessoas com deficiência, que como qualquer outro cidadão tem direitos garantidos por pagarem os mesmo impostos.

Além disso, não esqueçam, as pessoas com necessidades especiais são potenciais compradores e com a mudança de vida do brasileiro, acarretou na mudança de atitude das pessoas, tais que não se restringem mais a viver uma vida sem participar daquilo que os felizes. Bacabal também tem de rever a situação das calçadas desniveladas e de que forma, prática e objetiva, esse outro problema pode ser resolvido. Tente analisar esse problema como se você fosse um cadeirante, com certeza boas idéias e mais conscientização irão surgir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será analisado e logo será postado. Obrigado!