quinta-feira, 25 de julho de 2013

Empresa que esburacou Bacabal terá que pagar R$ 1,2 milhão por utilizar trabalho escravo

SÃO LUÍS - A empresa Consulplan Consultoria e Planejamento pagará indenização por dano moral coletivo no valor de R$ 1,2 milhão, por ter mantido 12 trabalhadores em condições análogas às de escravo em uma obra do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) em Bacabal. Nesta quarta-feira (24), a Construtora firmou um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) com o Ministério Público do Trabalho no Maranhão (MPT-MA) com 47 cláusulas (obrigações de fazer e não fazer).
De acordo com o procurador responsável pelo caso, Ítalo Ígo Ferreira Rodrigues, o dinheiro será destinado a Superintendência da Polícia Rodoviária Federal no Maranhão para aquisição de veículos (caminhões guincho plataforma).
Entre as obrigações assumidas pela Consulplan estão: fornecer equipamentos de proteção individual, materiais de primeiros socorros, vestimenta e água potável, filtrada e fresca aos trabalhadores; assinar a carteira de trabalho no prazo de 48 horas e assegurar a realização de exames médicos periódicos aos empregados.
A construtora deverá abster-se de intermediar, arregimentar ou aliciar trabalhadores para outra localidade do território nacional e não poderá utilizar “empreiteiros” e “gatos” no recrutamento de funcionários.
A utilização de mão de obra terceirizada para a prestação de serviços ou qualquer outra função relacionada à atividade-fim da empresa também está proibida.
Segundo o procurador Ítalo Ígo Ferreira Rodrigues, em caso de descumprimento total ou parcial das 47 cláusulas do TAC, a empresa pagará multa de R$ 8 mil por item desobedecido, acrescido de R$ 2 mil por trabalhador prejudicado pela infração.
Novas audiências
Depois da audiência com a Consulplan, nesta quinta-feira (25) ocorrerá uma audiência com os outros envolvidos no caso (empresas Acapu e Comprecol e empreiteiro Valber Costa), na Procuradoria do Trabalho em Bacabal.
Entenda o caso
Uma inspeção realizada no mês passado pelo MPT-MA resultou no resgate de 12 homens em condições análogas às de escravo em Bacabal. Eles viviam em alojamentos precários e tiveram vários direitos trabalhistas violados. A alimentação fornecida era deficiente e muitos deles bebiam água da torneira.
A licitação das obras para construção de valas para rede de esgoto em Bacabal foi vencida pela Consulplan, que terceirizou os serviços para as empresas Acapu e Comprecol e ainda contratou o empreiteiro Valber Costa. Todos os envolvidos poderão firmar um TAC. Caso contrário, o MPT-MA poderá ingressar com uma Ação Civil Pública.
Fonte: imirante.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será analisado e logo será postado. Obrigado!