quinta-feira, 27 de março de 2014

Juiz e promotor são expulsos da cidade por motoqueiros

             O Poder Judiciário e o Ministério Público Estado do Maranhão foram desrespeitados e ameaçados na manhã de terça-feira (25), no município de Arame, a 459 KM de São Luís. O juiz Holídice Barros e o promotor de justiça Carlos Róstão, ambos titulares da Comarca de Grajaú, mas  respondendo por Arame, foram praticamente expulsos da cidade sob fogos de artifício durante uma manifestação de motociclistas. A polícia militar nada pode fazer porque, segundo o magistrado, a cidade de Arame só tem um policial.
Untitled-1O juiz Holídice Barros e o promotor Carlos Róstão: campanha pelo uso de capacete
Tudo começou com uma campanha que o promotor Carlos Róstão está realizando na comarca de Arame para que os motociclistas cumpram o que determina a lei e só trafeguem usando capacete. Além disso, o promotor fixou prazo para que a população se adeque a essa regra. “Trata-se de uma norma que visa preservar a segurança do condutor da moto e da própria população”, esclareceu o juiz Holídice Barros.
Ocorre que parte da população que utiliza motocicleta, além de se recusar a cumprir as exigências do promotor, decidiu realizar, nesta terça-feira, um protesto, interditando a via que interliga os municípios de Arame e Buriticupu.
O juiz Holídice Barros e o promotor Carlos Róstão, ao se deslocarem de Grajaú para a realização de audiências em Arame, foram hostilizados pelos manifestantes. Após constatarem que só havia um policial na cidade, eles solicitaram ao comandante do Batalhão de Grajaú que enviasse reforço, seguindo para Arame apenas dois policiais e uma viatura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será analisado e logo será postado. Obrigado!