sexta-feira, 25 de abril de 2014

Grupo Sarney é o maior obstáculo para o desenvolvimento do Maranhão, afirma Simplício Araújo‏

               A falta de políticas públicas em setores essenciais para o desenvolvimento do Maranhão e o sentimento de mudança de que o estado necessita foram destaques do pronunciamento feito pelo deputado Simplício Araújo (Solidariedade/MA) nesta quinta-feira (24). Da tribuna, o parlamentar alertou, mais uma vez, para os baixos indicadores sociais do estado, para as obras inacabadas, para a falta de segurança pública, para a saúde precária, entre outros pontos.

Na avaliação do deputado, os baixos indicadores do Maranhão estão diretamente ligados às obras inacabadas, ao desperdício de recursos públicos e, automaticamente, à ineficiência do governo estadual e dos grupos ligados a Sarney. A refinaria Premium I em Bacabeira; o Projeto Flores, na Barragem do Rio Flores, em Joselândia; e o Tabuleiro do São Bernardo, localizado no município de Magalhães de Almeida, são alguns exemplos de obras inacabadas e de desperdício de dinheiro público no Maranhão, conforme destacou Simplício durante o pronunciamento.

O deputado citou ainda a ponte sobre o Rio Itapecuru, em Itapecuru-Mirim, as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) em São Luís, Timon, Bacabal e Açailândia, que estão com quase dois anos de atraso. “As grandes obras que o grupo Sarney se apodera no Maranhão são quase todas do governo federal. Obras essas que jamais poderiam deixar de ser construídas ao longo desses 40 anos”, afirmou. “Em alguns casos, ao interferir na execução destas obras, acabam atrapalhando e as deixando abandonadas, sem que os benefícios cheguem ao povo maranhense”, acrescentou.

Ao mesmo tempo, o deputado lembrou que “eles surfam nos programas federais que acontecem no estado quando os mesmos dão bons resultados, e se eximem da responsabilidade dos que estão parados, abandonados ou nunca foram implantados.”

O parlamentar lamentou ainda que, nesses 40 anos, nunca tenha sido implantada uma política pública eficiente. “Tudo é voltado para benefício do grupo e para saquear os cofres públicos”, disse.

Em relação à segurança no estado, Simplício lembrou que o descaso com o setor tem feito muitas vítimas, que lamentavelmente estão morrendo por falta de uma política pública na área. De acordo com ele, esse problema está ligado à falta de condições, investimentos e de efetivo policial.

O deputado destacou ainda os graves problemas na saúde. “A resposta à equação de saúde no Maranhão foi dada sem a observação às causas do problema. Construção megalomaníaca e midiática de quase uma centena de hospitais, mais de metade deles abandonados em meio a matagais.”

Simplício disse ainda que o estado tem o maior déficit habitacional do país. Segundo ele, o programa Minha Casa, Minha Vida serve apenas para politicagem feita por políticos ligados ao grupo Sarney, que se preocupam apenas com o lucro ou com a ampliação de bases políticas. “O governo Roseana não tem nenhum programa habitacional para erradicar o problema da falta de moradia no Maranhão. Apenas fez promessas em campanha e nunca as cumpriu.”

Por fim, Simplício foi enfático: “precisamos mudar este atual modelo de governo implantado em cima de falsas promessas e da falta de planejamento para erradicar os problemas que impõe ao maranhense os piores índices de desenvolvimento humano, e que nos envergonham quase todos os dias em rede nacional. O grupo Sarney foi, sem dúvida nenhuma, o maior obstáculo ao desenvolvimento do Maranhão.”

A frase: “Não podemos pensar em construir e desenvolver o estado que sonhamos sem olhar, refletir e debater o descaso e a falta de compromisso com os principais problemas do estado. No Maranhão só se responde aos problemas do estado até hoje por meio da propaganda enganosa.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será analisado e logo será postado. Obrigado!