terça-feira, 22 de abril de 2014

Mídia perversa - Grupo Sarney faz campanha midiática para plantar a divergência dentro da oposição

Blogueiros e veículos de comunicação alinhados ao grupo Sarney divulgam factóides destinados a passar ao eleitorado a imagem de desunião entre os políticos oposicionistas

Operação “ Discórdia”
Blogueiros e veículos de comunicação alinhados ao grupo Sarney tentam disseminar notícias passando a imagem de divergência dentro da oposição. Primeiro houve a tentativa de colocar o PDT como entrave a consolidação do palanque unificado. Agora, já andam plantando a notícia de que o PSDB deve ficar com a vaga da candidatura ao Senado que por consenso ficou com o vice-prefeito, Roberto Rocha.
Operação “Discórdia” II
Acostumado a trabalhar do ponto de vista midiático para fomentar a divergências da oposição, o grupo Sarney fica cada vez mais preocupado quando vê a montagem de uma ampla aliança em torno da pré-candidatura de Flávio Dino, que inclui até mesmo os presidenciáveis, em uma clara sinalização do  consenso de todas as forças políticas que militam no campo da oposição e reflete um sentimento latente em todo o povo maranhense.
Instituto Carochinha
Nem mesmo os aliados de Edinho Lobão acreditam na pesquisa “interna” divulgada na coluna de um jornal que circula em Brasília e que aponta o suplente de senador que nunca recebeu um voto, com um percentual de 42% da preferência do eleitorado maranhense. A  divulgação destes números feitas por blogs alinhados ao grupo Sarney recebeu críticas de setores da oposição.
Instituto Carochinha II
A divulgação da pesquisa com jeitão de factoide inclusive atenta contra  a legislação eleitoral e por isto mesmo lideranças de oposição já se manifestaram alertando para este tipo de situação. E por mera coincidência apenas blogs e veículos de comunicação alinhados ao grupo Sarney divulgaram tais números.
Força Total
Em uma situação que o eleitorado já presenciou há quase trinta anos, Edinho Lobão desembarca em São Luís no dia 23 para se reunir com lideranças de todo o Estado, Em 1985, outro filho de ex-governador foi lançado pelo grupo Sarney para uma disputa majoritária. Tratou-se de Jayme Santana, que concorreu a prefeitura de São Luis e sofreu um baile nas urnas.
Força Total II
Na ocasião, a coligação de Jayme Santana que contou com apoio de todo o grupo Sarney se chamava “Força Total”. O problema era que o candidato não tinha a simpatia do eleitorado e nem mesmo o amplo e não houve jeito de evitar a rejeição das urnas, em um pleito que se constituiu em uma grande derrota do grupo Sarney na disputa da primeira eleição para a prefeitura de São Luís, após o fim do regime militar.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será analisado e logo será postado. Obrigado!