sexta-feira, 2 de maio de 2014

DENÚNCIA - Lixão de Bacabal está no limite e incomoda população. Porque a empresa terceirizada pela prefeitura para cuidar do lixão não realiza o serviço de forma eficaz?

A fedentina é intensa e área contaminada não servirá para aterro sanitário - por falar em aterro sanitário, como a Prefeitura irá se adequar à nova legislação de tratamento do lixo até agosto desse ano?

Reportagem: Cláudio Cavalcante


                     Com a Lei 12.305/2010 muito já deveria estar mudando. A lei de 2010 veio para garantir que lixões a céu aberto e aterros controlados deixem de existir, terminantemente, até agosto desse ano. A Lei, determina que todas as administrações públicas municipais, indistintamente do seu porte e localização, devem construir aterros sanitários e encerrarem as atividades dos lixões e aterros controlados, no prazo máximo de quatro anos, substituindo-os por aterros sanitários ou industriais, onde só poderão ser depositados resíduos sem qualquer possibilidade de reciclagem e reaproveitamento, obrigando também a compostagem dos resíduos orgânicos. Assim, as prefeituras devem eliminar seus lixões e transformá-los em aterros sanitários, de acordo com a legislação.


                     Em princípio todas as empresas, as administrações públicas (federais, estaduais e municipais) e os cidadãos deverão cumprir seus deveres. Estão sujeitas à observância desta Lei as pessoas físicas ou jurídicas, de direito público ou privado, responsáveis, direta ou indiretamente, pela geração de resíduos sólidos e as que desenvolvam ações relacionadas à gestão integrada ou ao gerenciamento de resíduos sólidos”.

Máquinas ficam paradas durante muito tempo
               Mas será que a prefeitura de Bacabal já está buscando a adequação para transformar o lixão da cidade num aterro sanitário? O blog foi chamado por moradores das redondezas do lixão para ir até o local e o que encontramos lá foi algo estarrecedor. Uma pilha de lixo só cresce há mais de cinco meses, mesmo com um tratores parados ali perto. “Nunca o lixo havia chegado até aqui próximo a entrada do lixão”, declarou um dos vários catadores que trabalha no local. A empresa, terceirizada para realizar os serviços de limpeza da cidade e cuidar do lixo nesse local parece não estar conseguindo realizar o serviço de forma eficaz. No momento em que mais se busca responsabilizar as administrações públicas, fazendo com que as mesmas regionalizem esse tipo de trabalho de acordo com a realidade de sua região, Bacabal está indo pela contramão, o que pode causar ainda mais consequências negativas, tanto para a própria administração, como para a saúde do cidadão.
O lixo já chegou na via principal que dá acesso ao lixão
Festa de carniça para urubus e carcarás por todo os cantos do lixão à céu aberto
                Não é de hoje que a empresa destinada a realizar coleta de lixo e limpeza na cidade vem chamando a atenção pelos serviços ineficientes. Moradores de vários bairros reclamam de como a coleta é feita. “Quando o lixo é recolhendo, os restos de resíduos que caem das caçambas muitas ficam jogados no meio da rua”, disse Maria Helena do bairro Vila Pedro Brito. O que chama a atenção também é a falta parcial de equipamento adequado para o profissional que faz a coleta direta. O amontoado de lixo, exposto durante muito tempo num só local, sem ser pelo menos espalhado, causa ainda mais transtornos para a população, pois se o lixão já é um vizinho desagradável, imagine só uma montanha de lixo cada vez crescente. Não sinto do prefeito Zé Alberto má vontade, mas vejo que é necessário tomar as rédeas de algumas situações básicas que fazem toda a diferença. É necessário que a empresa que recebe o dinheiro público, o nosso dinheiro, para realizar esse tipo de trabalho, seja realmente fiscalizada para que possa oferecer um serviço digno do bacabalense. O odor alí próximo é insuportável, ainda mais quando a decomposição do lixo cria gases que com o calor do verão faz pegar fogo, espalhando fumaça tóxica e com mal cheiro até para bairros mais longínquos.


Urubus sobrevoam a região durante o dia inteiro
              Com a lei Lei 12.305/2010 pressionando as prefeituras, esperamos que até agosto Bacabal já tenha resultado condizente para o tão sonhado aterro sanitário, pois a população espera ansiosa pela resolução desse grave problema que já dura décadas. Sabemos de quem é as responsabilidades e elas serão cobradas. Estamos de olho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será analisado e logo será postado. Obrigado!