sábado, 4 de outubro de 2014

LIXÃO ELEITORAL - candidatos sujões deixam ruas de Bacabal repletas de material de propaganda nos últimos momentos de campanha

Por Cláudio Cavalcante

             
Nesses últimos momentos, que antecedem o tão esperado dia da votação, candidatos ainda tentam ganhar a atenção do eleitor e, consequentemente, o seu voto. Para tanto, é necessária a prática da velha e conhecida propaganda direta, repleta de material de campanha impresso. Nem sempre esse material é entregue nas mãos do eleitor, mas jogado em meio às ruas e calçadas. São os famosos "santinhos", auto-colantes, cartazes, bandeirolas; enfim, tudo que pode ser impresso e que sirva para alavancar as campanhas dos incansáveis "busca-votos" de última hora. 
                O ruim de tudo isso, é que a maioria desse material nem sempre chega às mãos do eleitor e se chegam boa parte é descartada. Daí, cria-se grande problema de sujeira urbana, pois tudo acaba virando lixo de campanha exposto nas ruas, contribuindo para uma aparência desagradável e para o entupimento de esgotos e galerias, tais que estes já não são dos melhores. Os sujões fazem suas carreatas e utilizam o máximo de material de campanha que anida tem no estoque, pois precisam "gastar" todo ele antes de amanhã, (05), dia da eleição. 
          A educação do candidato fica de lado e ele nem sequer lembra que está em busca de representar o povo e sua cidade. Muitos não fizeram o dever de casa e acham que campanha é isso mesmo, um carnaval de ofertas desvariadas, um grande promoção, um queimão de votos, panfletagem exacerbada. É preciso, no mínimo, capacidade de reflexão para figurar-se como candidato e isso, poucos tem. Não se deve deixar as ruas sujas com o material de campanha e não tem pouco cansar a mente do eleitor que, de hoje para amanhã, não mudará seu voto por intermédio de passeatas e um amontoado de material de campanha despejados nas vias públicas. É necessário mudança de cultura política urgente, mas é necessário algo muito mais básico para muitos desses candidatos: educação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será analisado e logo será postado. Obrigado!