segunda-feira, 13 de outubro de 2014

O DERROTADO - Edinho confessa que esperava “ações do governo” para ajudá-lo na eleição

Para justificar a derrota nas urnas, o ex-candidato Edinho Lobão acabou confessando uma série de ilícitos que esperava que fossem cometidos em seu favor. O maior deles, conforme a oposição apontou ao longo dos meses, seria o uso dos conhecidos “convênios” para irrigar os prefeitos no período eleitoral.
Em entrevista concedida ao jornal O Imparcial no último domingo (12), Edinho Lobão confessou que esperava que a estrutura pública do Governo fosse utilizada para lhe beneficiar.
“Eu acho que o governo não me ajudou em nada. Historicamente o governo foi um parceiro do seu candidato, eu não tive essa parceria (…). Eu tive que andar com esse fardo e esse fardo se demonstrou pesado demais para alcançar a vitória.” Edinho tinha apoio da governadora Roseana Sarney.
Em 2010, por exemplo, a Procuradoria Geral da República pediu a cassação do mandato de Roseana Sarney por abuso de poder político, pois foi constatado o uso de recursos públicos (convênios) para compra de apoio político. Em outras palavras, foi o que Edinho disse que lhe falta na campanha.
Mais grave ainda, Edinho chega a reclamar de não ter “controle sobre as ações de governo”. Para ele, se o governo tivesse agido de maneira “diferente”, a derrota poderia ter sido revertida.
Segundo o Tribunal Superior Eleitoral, “o abuso do poder político ocorre nas situações em que o detentor do poder vale-se de sua posição para agir de modo a influenciar o eleitor, em detrimento da liberdade de voto.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será analisado e logo será postado. Obrigado!