domingo, 26 de outubro de 2014

TSE registra 147 prisões eleitorais e a substituição de 2.231 urnas

Aumenta o número de urnas substituídas no país para 2.231, em novo boletim divulgado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) às 14h24 deste domingo (26/10). No levantamento anterior, o dado era de 1.733. As substituições chegam agora a 0,51% do total de 428.894 equipamentos em todas as seções eleitorais do Brasil.

O Rio de Janeiro continua sendo o estado com mais problemas. Lá, 340 máquinas precisaram ser trocadas. Em segundo lugar, São Paulo aparece com 274 equipamentos substituídos e, em terceiro, Rio Grande do Sul com 204. Uma cidade paulista passou a operar com votação manual, ou seja, urnas de lona e cédulas de papel.

O número de prisões subiu para 147, a maior parte também no Rio, com 25. Rio Grande do Norte, que ainda não aparecia no topo das estatísticas, ficou na segunda posição, com 21 pessoas detidas. Nenhum candidato foi preso. No total, a Justiça Eleitoral registrou 395 ocorrências de irregularidades eleitorais

Divulgação de propaganda ainda é o maior problema. No Rio Grande do Norte, 62 casos foram identificados e uma pessoa detida. Já no Rio de Janeiro, sete ocorrências além das registradas no boletim anterior, fazendo com que a unidade da federação alcançasse 28 casos e oito prisões. A boca de urna foi responsável por 65 prisões, 17 delas no Rio Grande do Norte. Em outros 93 casos não houve detenção.

O crime considerado mais grave pela Justiça Eleitoral, a compra de votos, aparece 11 vezes no levantamento. Ninguém foi preso em flagrante por esta corrupção. Quatro denúncias ocorreram na Paraíba, três no Pará. Ceará, Amazonas, Rio de Janeiro e Rio Grande do Norte tiveram uma cada

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será analisado e logo será postado. Obrigado!