sábado, 3 de janeiro de 2015

Imagens e assuntos marcantes da semana

Governador Flávio Dino toma posse no Maranhão








Dilma Rousseff toma posse e inicia segundo 
mandato na Presidência da República


Vinte e sete governadores tomam posse em todo o Brasil
(leia resumão)

Em 1º de janeiro de 2015, os 26 estados brasileiros e o Distrito Federal celebraram o início dos mandatos dos governadores eleitos nas eleições de outubro de 2014.
Todos os mandatários ressaltaram em seus discursos os principais investimentos que vão realizar ao longo dos próximos quatro anos.
Goiás
Em Goiás, Marconi Perillo foi empossado na Assembleia Legislativa com o acompanhamento, pela população, por meio de três telões instalados no local. O governador venceu a disputa para o governo de Goiás com 57% dos votos válidos.
Em seu discurso, o governador disse que pretende transformar o estado em um grande destino turístico e garantiu que vai cumprir as promessas feitas durante o período de campanha. Formado em direito, Marconi Perillo, 51 anos, nasceu no município de Palmeiras de Goiás.
Rio de Janeiro
O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, tomou posse para o segundo mandato em cerimônia na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). Nascido em Piraí (RJ), Pezão é formado em economia e administração de empresas, e entrou para a vida política na década de 1980.
Ao discursar, Pezão destacou a redução de índices de criminalidade no estado e prometeu prioridade para a saúde. Sobre educação, o governador afirmou que um de seus objetivos é transformar o Rio de Janeiro no primeiro colocado no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e que o estado seja referência em ensino profissionalizante e no ensino médio.
Minas Gerais
O novo governador de Minas Gerais, o economista Fernando Pimentel, tomou posse na Assembleia Legislativa. De lá, ele seguiu para a transmissão do cargo no Palácio da Liberdade, sede histórica do governo mineiro. Fernando Pimentel venceu as eleições em primeiro turno, com 52,98% dos votos válidos (5,36 milhões de eleitores).
Entre os compromissos da campanha está a construção de mecanismos de participação popular no governo. O governador havia anunciado anteriormente, no dia 30 de dezembro de 2014, mudanças no organograma da administração.
Pimentel criou as secretarias de Recursos Humanos, de Desenvolvimento Agrário, de Direitos e Cidadania e de Esportes. Com as alterações, o Escritório de Prioridades será extinto, a Ouvidoria-Geral do estado ficará vinculada à Secretaria de Direitos e Cidadania e a Representação do Estado em Brasília também perde o status de secretaria e se submete à Secretaria de Governo.
Ceará
O governador eleito do Ceará, Camilo Santana (PT), foi empossado na Assembleia Legislativa do Estado. Natural de Crato (CE), Camilo Santana, 46 anos, foi eleito no segundo turno com 53,35% dos votos válidos.
Em seu discurso, Santana destacou como uma das principais metas de seu governo a redução dos índices de violência. Outra meta apresentada pelo novo governador foi a garantia da segurança hídrica para a população cearense. Ele prometeu acompanhar diariamente o andamento de obras como a transposição do Rio São Francisco.
Distrito Federal
O governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg assinou o termo de posse na Câmara Legislativa do Distrito Federal e destacou que vai trabalhar para reduzir as desigualdades entre a região central de Brasília e o restante do DF e o Entorno. Nascido no Rio de Janeiro, Rollemberg, 55 anos, é formado em história pela Universidade de Brasília (UnB).
São Paulo
Na sessão de posse, na sede da Assembleia Legislativa de São Paulo, o governador Geraldo Alckmin destacou avanços no saneamento das finanças do estado e citou investimentos de R$ 74 bilhões nos últimos quatro anos, com destaque em transporte, saúde e educação.
Alckmin é médico e atua vida política desde os 19 anos. Esta é a quarta vez que ele assume o comando do Executivo estadual. 
Tocantins
Marcelo Miranda assumiu, em cerimônia na Assembleia Legislativa do Tocantins, o comando do estado pela terceira vez e prometeu trabalhar para melhorar a situação das áreas de saúde e segurança. Natural de Goiânia, com 53 anos, Miranda foi eleito no primeiro turno com 360.640 votos; 51,3% dos votos válidos.
Mato Grosso
Eleito no primeiro turno com mais de 833 mil votos (57% dos votos válidos), o governador Pedro Taques assumiu o cargo de governador de Mato Grosso.
Durante a cerimônia na Assembleia Legislativa, em Cuiabá, Taques antecipou que planeja desenvolver novas políticas tributárias e de fomento econômico às atividades produtivas.
Nascido em Cuiabá (MT), Taques, de 46 anos, explicou que seu plano de governo está embasado em projetos para saúde e segurança pública, políticas sociais e de proteção aos menos favorecidos (habitação, regularização fundiária e urbanística, mobilidade, acessibilidade), proteção do meio ambiente.
Piauí
O governador eleito do Piauí, Wellington Dias (PT), tomou posse na Assembleia Legislativa do estado. A cerimônia de transmissão de cargo ocorreu no Palácio Governador Karnak.
Dias assume o cargo pela terceira vez, após vencer a disputa para o governo com mais de 1 milhão de votos (63% dos votos válidos). Bancário e radialista, o governador é casado com a deputada estadual Rejane Dias e tem três filhos.
Bahia
A cerimônia de posse do novo governador baiano, Rui Costa (PT), ocorreu na Assembleia Legislativa, localizada no Centro Administrativo da Bahia (CAB), na Paralela, em Salvador.
Em discurso para o plenário e galerias lotadas de convidados para a cerimônia, Rui Costa prometeu ampliar a ação coordenada entre os órgãos públicos.
Sergipe
O governador Jackson Barreto foi empossado para seu segundo mandato em Sergipe, depois de vencer as eleições no primeiro turno.
Ao discursar, o governador apontou como meta elevar o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de Sergipe. No último ranking divulgado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), baseado no Censo 2010, Sergipe tinha o 20º IDH do País.
Acre
O governador do Acre, Tião Viana (PT), tomou posse logo após a virada do ano. Médico de formação, o governador Tião Viana nasceu em fevereiro de 1961, na cidade de Rio Branco, capital do estado. 
Segundo ele, as principais vertentes de sua administração foram a melhoria da qualidade de vida dos acrianos, a conservação dos recursos naturais e o desenvolvimento do estado. Após o evento, o governador foi a Brasília para participar da cerimônia de posse da presidenta Dilma Rousseff.
Rio Grande do Sul
A cerimônia que deu posse a Ivo Sartori (PMDB) ao governo do Rio Grande do Sul teve início às 14h20 na Assembleia Legislativa gaúcha. Natural de Farroupilha (RS), Sartori, 66 anos, venceu no segundo turno com 61,21% dos votos válidos. O governador eleito é formado em filosofia pela Universidade de Caxias do Sul.
Em seu discurso, o governador defendeu mudanças nos processos de gestão, falou sobre a necessidade de melhorar indicadores nas áreas de educação, saúde e segurança pública e defendeu a adoção de novas modalidades de contratos do setor público com o privado.
Espírito Santo
Na tarde desta quinta-feira (1º), tomou posse o governador do Espírito Santo, Paulo Hartung. A cerimônia da Assembleia Legislativa do estado (Ales) começou pouco depois das 15h.
A cerimônia de transmissão de posse ocorreu no Palácio Anchieta, sede do governo, às 16h30, onde o governador foi saudado pela Banda de Música da Polícia Militar e passou a tropa em revista.
Eleito em primeiro turno, Paulo Hartung teve 53,44% dos votos válidos e governa o Espírito Santo pela a terceira vez. Economista natural de Guaçuí, o governador nasceu em 21 de abril de 1957.
No discurso, Hartung prometeu rever o orçamento de 2015 e dar prioridade para a área social, com ênfase na educação, e racionalizar a mobilidade urbana.
O governador também disse que vai reconstruir a Secretaria de Saúde e que utilizará uma política de ocupação social nos "chamados territórios violentos”.
Pará
Reeleito com mais de 1,8 milhão de votos (52% dos votos válidos), Simão Jatene foi empossado nesta quinta-feira (1º) para seu segundo mandato consecutivo, terceira vez ao todo, no governo do Pará. Jatene nasceu em abril de 1949, em Belém (PA), e é economista.
A solenidade começou na Catedral de Belém, onde foi celebrada uma missa. Em seguida, Jatene seguiu para a Assembleia Legislativa, assinou o termo de posse e fez um rápido discurso. Por fim, em um palanque montado em frente ao Palácio Lauro Sodré, sede do Museu do Estado do Pará, ele recebeu a faixa de governador.
Em seu pronunciamento, Jatene prometeu maior austeridade com os gastos públicos, tornando a máquina administrativa mais eficiente e enxuta e disse que manterá uma relação harmoniosa com os deputados estaduais.
Rondônia
O governador de Rondônia, Confúcio Moura, tomou posse na manhã de quinta-feira (1º), no Teatro Estadual Palácio das Artes, na capital Porto Velho. Natural da cidade de Dianópolis (TO), Confúcio nasceu em 1948 e venceu o pleito no segundo turno, com 419.928 votos, atingindo 53,43%.
Em seu discurso, Moura ressaltou que não aceitará eventuais desvios de sua equipe e destacou que fará uma administração voltada para a austeridade fiscal, limitando ao máximo os gastos desnecessários.
Paraná
O governador reeleito no Paraná, Beto Richa, tomou posse na tarde de quinta-feira (1º), na Assembleia Legislativa. Formado em engenharia civil, Beto Richa nasceu em Londrina, no dia 29 de julho de 1965.
Em discurso que durou cerca de 20 minutos, Richa pediu que a presidenta Dilma Rousseff amplie o diálogo com o estado. Segundo ele, seu último governo contribuiu para diversos avanços e citou como exemplo a menor taxa de mortalidade infantil do País, a contratação de 10 mil policiais e de cerca de 30 mil professores, o aumento de salário dos servidores públicos e a entrega de 70 mil moradias e de 3 mil km de estradas em todo o estado.
Logo após a cerimônia de posse, o governador e a vice foram até o Palácio Iguaçu para a cerimônia de recondução ao cargo. Durante a solenidade, também foram nomeados os novos secretários de estado.
Paraíba
As solenidades de recondução de Ricardo Coutinho (PSB) ao cargo de governador da Paraíba tiveram início na manhã de quinta-feira (1º) com a celebração de um ato ecumênico no Teatro Paulo Pontes, em João Pessoa.
À tarde, ele foi empossado na Praça do Povo e, em seguida, foi reconduzido ao cargo no Palácio da Redenção, sede do governo paraibano. Formado em farmácia, Ricardo Coutinho, 53 anos, foi eleito em segundo turno com 52,61% dos votos válidos.
Em seu discurso, Coutinho destacou os feitos de sua primeira gestão no governo estadual. O governador iniciou falando sobre o programa que abriu aos paraibanos a possibilidade de participar da definição dos gastos do orçamento e anunciou a criação do Conselho Estadual de Transparência.
Amapá
O novo governador do Amapá, Waldez Góes, tomou posse pela terceira vez no cargo, em pouco mais de uma década. A cerimônia ocorreu no início da noite de quinta-feira (1º), na Assembleia Legislativa e a transmissão do cargo duas horas depois no Palácio do Setentrião, sede do governo, em Macapá.
Nascido na cidade de Gurupá (PA), o técnico agrícola Waldez Góes tem 53 anos de idade e já ocupou o governo nos anos de 2003 e 2007. Em 2014, venceu a eleição no Amapá, no segundo turno, com 60,68% dos votos válidos.
Prometendo cortar gastos para sanear o Executivo estadual, Góes anunciou como primeiro ato decretar estado de emergência na saúde para, dessa forma, garantir o fornecimento de medicamentos para a população.
Góes também se comprometeu em comprar imediatamente armas, munições, coletes à prova de balas e novas viaturas para a polícias Militar e Civil.
O governador quer também criar um grupo de trabalho nos primeiros três meses de governo para implementar uma reforma tributária no estado. Ele anunciou, ainda, a criação de uma agência de desenvolvimento econômico para o Amapá.
Santa Catarina
Nascido em Lages, em 28 de fevereiro de 1955, o governador reeleito de Santa Catarina, Raimundo Colombo, tomou posse do cargo em cerimônia na noite de quinta-feira (1º), na Assembleia Legislativa do estado, em Florianópolis. Depois, no Palácio Barriga Verde, Colombo empossou os secretários que vão compor o governo em seu segundo mandato.
Em seu discurso, Colombo falou das dificuldades que encontrou no primeiro mandato com as greves e os ataques do crime organizado. O governador também falou sobre os principais programas de governo lançados no primeiro mandato e citou especialmente o Pacto por Santa Catarina, um pacote de obras estadual lançado em 2012, com a expectativa de que R$ 10 bilhões sejam investidos e aplicados em todas as áreas do governo.
Até o momento, citou, foram aplicados 20% dos recursos totais do pacto, índice que deve chegar a 65% até o final de 2015, com obras em hospitais, estradas, escolas e viaturas e equipamentos para a segurança do estado.
Rio Grande do Norte
O novo governador do Rio Grande do Norte, o advogado e empresário Robinson Faria, 55, tomou posse no início da noite desta quinta-feira (1º), no Centro de Convenções de Natal. A cerimônia foi conduzida pelo presidente da Assembleia Legislativa do estado, Ricardo Motta. Faria foi eleito com 54,4% dos votos válidos no estado.
Em seu discurso de posse, Faria prometeu criar o Programa Ronda Cidadã, que será inspirado em modelos de polícia comunitária. Além disso, defendeu revisão no estatuto da Polícia Militar, humanização da tropa e valorização profissional.
O governador também ressaltou os compromissos na área da educação, entre eles a erradicação do analfabetismo no estado. Faria também defendeu a implantação efetiva do Plano Nacional de Educação, a participação de pais na gestão escolar e anunciou a criação de um Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego estadual. Em relação à saúde, Faria prometeu recuperar os 25 hospitais regionais do Rio Grande do Norte e criar centros de diagnósticos.
Alagoas
Eleito com 52,16% dos votos válidos, o novo governador de Alagoas, Renan Filho, tomou posse nesta quinta-feira (1º). Ao discursar, Renan destacou que o estado precisará equilibrar o orçamento, que apostará na educação para promover o desenvolvimento do estado e que irá combater a violência.
Mato Grosso do Sul
O governador eleito por Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, destacou durante sua posse, na quinta-feira (1º), que pretende acabar com as filas no sistema público de saúde, criando o que ele chamou de “mutirões de saúde”.
Azambuja ainda pregou um governo que ouça os problemas da população nos municípios e defendeu o combate ao aparelhamento do estado e disse que vai enxugar as estruturas do governo. Classificando de uma “medida exemplar”, Azambuja anunciou o corte do próprio salário em 50%.
Roraima
A única mulher eleita para o comando do Executivo estadual no País, a governadora de Roraima, Suely Campos (PP), tomou posse na tarde desta quinta-feira (1º) prometendo priorizar investimentos nas áreas de saúde, educação e agricultura. Nascida em Boa Vista (RR), em 1953, Suely é formada em letras, mãe de quatro filhos e avó de 12 netos.
Pernambuco
O governador eleito de Pernambuco, Paulo Câmara, tomou posse nesta quinta-feira (1º), no Recife. A cerimônia de posse começou às 16h de Brasília, na Assembleia Legislativa. A transmissão de cargo ocorreu em seguida, no Palácio Campo das Princesas, sede do Executivo estadual.
Em seu discurso, Câmara lembrou o ex-governador Eduardo Campos, morto em acidente aéreo em agosto durante campanha à Presidência da República. “Minha especial gratidão ao governador Eduardo Campos, aqui representado por Renata Campos e seus filhos”, disse.
O novo governador disse que fará um governo com diálogo, transparência, coesão política, equilíbrio fiscal e visão integrada dos problemas e de suas soluções. Paulo Câmara venceu a disputa para o governo de Pernambuco no primeiro turno.
Maranhão
O novo governador do Maranhão, Flávio Dino, tomou posse na tarde desta quinta-feira (1º). Primeiro e único candidato da história do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) a governar uma das unidades federativas do país, Dino foi eleito no primeiro turno.
Em sua fala na cerimônia de posse, Dino anunciou a criação de duas novas secretarias de governo e o envio, à Assembleia Legislativa, de dois projetos de lei.
Uma das iniciativas prevê a criação do Programa Mais Bolsa Família e Escola. Se aprovada, a proposta beneficiará estudantes da rede pública de ensino com recursos para a compra de material escolar, no início de cada ano letivo.
O outro projeto de lei estabelece regras a serem observadas pelas equipes de governo ao fim de cada gestão, durante o período de transição. A ideia, segundo Dino, é que as equipes de novos governos possam se apropriar das informações e dados necessários para o exercício do futuro mandato.
Criadas por meio de medida provisória, as duas novas secretarias de governo ficarão responsáveis por apoiar a agricultura familiar e, no caso da Secretaria de Transparência e Controle, fiscalizar o uso do dinheiro público.
Amazonas
O governador do Amazonas, José Melo de Oliveira, tomou posse na noite desta quinta-feira (1º) e contou a com presença de cerca de 1,2 mil convidados. Formado em economia, José Melo Oliveira, foi eleito com 55,53% dos votos válidos (869.992 votos).
Após o ato, José Melo destacou que irá reformar a estrutura governamental, com o objetivo de reduzir, anualmente, os gastos da máquina pública em R$ 700 milhões. A intenção é a de obter recursos para investimentos, com ênfase na área de educação e no setor rural.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será analisado e logo será postado. Obrigado!