segunda-feira, 6 de abril de 2015

Grandes fortunas: Flávio Dino questiona omissão do Congresso

O governador do Maranhão, Flávio Dino, ajuizou no Supremo Tribunal Federal (STF) a Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão (ADO) 31 contra o Congresso Nacional pelo fato de não ter sido regulamentado até hoje o imposto sobre grandes fortunas, previsto no artigo 153, inciso VII, da Constituição de 1988. Dino afirma que a renúncia inconstitucional de receita pela União tem estreita ligação com os interesses de seu estado.

“Ante o fragilizado pacto federativo vigente no Brasil, estando a União no topo da pirâmide, a concentrar a maior parcela das receitas fiscais, ocupando os estados-membros papel coadjuvante na arrecadação tributária e na repartição de receitas, é inegável a dependência financeira destes últimos em relação à primeira. A dependência estadual dos cofres federais se exaspera no caso do Estado do Maranhão, porque se trata do estado-membro com o segundo menor Produto Interno Bruto (PIB) per capita e que ostenta ainda baixíssimos indicadores sociais, como o segundo pior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH)”, ressaltou o governador.

O PIB per capita do Maranhão é de R$ 8.760,34 contra R$ 22.645,86 da média nacional, segundo dados do IBGE de 2014 apresentados na ação. Dino sustenta que a cobrança do tributo permitiria a arrecadação anual de mais de R$ 14 bilhões, de acordo com análise feita a partir de dados da Secretaria da Receita Federal. Levantamento apresentado na ADO aponta que existem na Câmara dos Deputados pelo menos 19 projetos de lei buscando a instituição do imposto sobre grandes fortunas, sendo o projeto de autoria do então senador Fernando Henrique Cardoso aquele que chegou mais próximo de se converter em lei. Aprovado no Senado, porém, o projeto tramita na Câmara desde dezembro de 1989.

Na ADO, o governador pede que o Supremo dê uma solução provisória ao problema até que o Congresso desempenhe o papel que a Constituição lhe outorgou. “De nada adiantará à guarda da Constituição a mera proclamação da mora do Poder Legislativo ou mesmo a fixação de prazo ao Congresso Nacional para a edição da lei faltante, se com essas medidas outra não for tomada, de verdadeiramente ditar qual a regra vigerá caso permaneça a omissão inconstitucional. Isso porque há questões que não conseguem reunir um consenso no Parlamento, ou mesmo outras em que há uma certa resistência do Congresso Nacional ou do Poder Executivo em regulamentar, impedindo a concretização da vontade constitucional”, salientou. O governador pede que o STF dê prazo de 180 dias ao Congresso para que envie à sanção presidencial projeto de lei instituindo e regulamentando o referido imposto.

O relator da ADO 31 é o ministro Teori Zavascki.

2 comentários:

  1. Olá,Cláudio, Bom dia!? É um enorme prazer recebê-lo neste nosso espaço de trabalho de fazer comunicação. Será uma grande parceria se merecermos a sua CURTIDA na FAN PAGE do nosso Blog: Seja DESTAQUE em nosso BLOG, assine a nossa FAN PAGE ( A recíproca é verdadeira)
    Basta clicar em CURTIR PÁGINA, acesse E CLICK:
    http://www.facebook.com/blogdoraymundojose

    Favor retorna posicionamento positivo para este e-mail:
    raymundojosemoura@gmail.com

    ResponderExcluir
  2. CHICO DO TOTE ESTELIONATÁRIO. DEU UM CALOTE MILIONARIO NA CIDADE DE VIANA -MA. NA SUA EMPRESA DE COMPRA PREMIADA ELETRO-NOSSA
    CHICO DO TOTE E SEU COMPARSA E SÓCIO AMERILDO ESTÃO RICO E SORRINDO DA CARA DA SOCIEDADE DO POVO VIANENSE.
    QUEREMOS UMA PROVIDENCIA, SE NÃO HOUVER UMA PROVIDENCIA ESSE CHICO DO TOTE PODE SE ESCONDER NO INFERNO MAS VAMOS ENCONTRAR ELE.
    O OUTRO LADRÃO SÓCIO DELE JÁ SABEMOS QUE ELE TA MORANDO EM SÃO LUIS, GOZANDO DO NOSSO SUOR EM APARTAMENTO DE LUXIO E CARRÕES. AMBOS VÃO TER UMA BELA SURPRESINHA BÁSICA. É SÓ AGUARDAR QUE TODOS VÃO SABER O QUE VAI ACONTECER COM ESSES DOIS LADRÕES.
    GOZAR COM O NOSSO SUOR, NUNCA ISSO VAI ACONTECER, ELES VÃO NOS PAGAR E PAGAR BEM CARO!!!

    ResponderExcluir

Seu comentário será analisado e logo será postado. Obrigado!